Bom te conhecer, zabaglione

Nunca tive o costume de pedir sobremesas em restaurantes. Talvez pelo fato de comer pouco e quase sempre estar cheia na hora da sobremesa, ou achar sobremesas de restaurante muito caras. De qualquer maneira, quando íamos a um restaurante italiano, sempre via um tal de zabaglione ou zabaione, achava o nome esquisito mas nunca tive vontade de experimentar. (Talvez porque nunca tive o hábito de experimentar novos doces e preferir o conhecido para não correr o perigo de errar e perder a chance de comer um doção confeitado).

Comprei o livro Modern Classics 2 da Donna Hay (uma escritora australiana especialista em comida) e vi a foto do zabaglione – um creminho cor-de-rosa que parecia ser uma maravilhosa nuvem adocicada. Fácil de fazer e resolvido: seria ele a primeira receita do livro que eu faria.

Três ingredientes: 4 gemas, 1/4 xícara de açúcar confeiteiro e 1/2 xícara de vinho marsala. Aí comecei a adaptar: óbvio que na minha casa não tem vinho marsala. Nem preciso dizer que é caro e acabei comprando meia garrafa de vinho do porto, que a Wikipedia disse ser semelhante.

Coloque tudo em uma tigela refratária sobre uma panela com água fervente e com uma batedeira elétrica portátil bata até o creme ficar espesso. Até engrossar, respinga muito e suja todo o fogão, portanto velocidade baixa no começo. Quando engrossar, retire a tigela com cuidado de cima da panela e bata mais um minuto. Sirva imediatamente com frutas vermelhas.

O meu ficou assim: zabaglione versão Ana Sakamoto

Meu zabaglione e ao fundo, à direita, a foto que me encantou. à esquerda, a receita em relance.

É realmente uma espuma aromatizada com vinho, mas adivinha: eu não tinha as frutas vermelhas e sem elas fica beeeem sem graça, além de não dar pra guardar, pois o doce abaixa. Quem sabe, numa próxima oportunidade as coisas funcionem melhor… De qualquer maneira, foi bom te conhecer, zabaglione. Gostaria que tivesse sido um prazer palatável, mas pelo menos agora já sei como lidar com você!

Sobre Ana Sakamoto

jornalista não praticante, vive em São Paulo. Gosta de cores e sempre atravessa na faixa.
Esse post foi publicado em Sobremesas e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Bom te conhecer, zabaglione

  1. Pingback: Amiga é pra essas coisas… Crème Brûlée | Sugar Obsession

  2. françoise disse:

    oie, Ana
    amoooooo zabaione. todas as vezes que comi o creme zabaione ele ficou mais creminho que espuma. lá na italia tem até sorvete zabaione. é muito bom!

    sobre a substituição do vinho marsala para vinho do porto, a questão é: será que ele dá a mesma liga e espessura que o marsala? pq talvez isso tenha comprometido o sabor.

    acho que é legal usar pra recheio de bolo ou bombinhas. uhmmm. fome!

    muito lega a ideia do seu blog.

    sucesso! bjos,

    • Estela disse:

      Ana, a minha primeira e única experiência com o zabaione não foi legal, era uma sobremesa com morangos e zabaione, achei com gosto de ovo…não gostei nem um pouco, espero mudar de opinião.
      Bjos,
      Estela.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s