Amiga é pra essas coisas… Crème Brûlée

O crème brûlée foi minha segunda tentativa de reproduzir uma sobremesa internacional

Amigas de verdade ficam felizes com seus bons momentos e te dão uma força nos piores -isso todo mundo sabe. Hoje posso acrescentar mais um item para esta teoria: amigas de verdade se dispõem a perder uma tarde de sábado, no meio de um feriadão prolongado, para vir à sua casa e comer um potinho de crème brûlée, mesmo sabendo que você nunca fez e sequer comeu um crème brûlée antes na sua vida.

Dada minha falta de referências sobre o sabor do doce, chamei duas amigas muito mais viajadas e informadas sobre sobremesas internacionais do que eu: a Cida e a Fran, e escolhi uma receita da Julia Child (afinal, queria que ficasse mais do que bom).

Cida, eu e Fran para registrar meu primeiro crème brûlée

Hoje acordei cedo, tentei dar uma arrumada na casa, e por volta das 10:30 separei os ingredientes, que eram poucos:

  • 425 ml de creme de leite fresco
  • 43 gramas de açúcar cristal
  • 4 gemas de ovos grandes peneiradas
  • uma colher (chá) amido de milho
  • uma colher (chá) essência de baunilha
  • uma colher (sopa) licor de laranja (usei Cointreau)

Numa tigela, bata bem as gemas com o açúcar até virar uma mistura esbranquiçada (se tiver uma batedeira, use-a, cometi o grande erro de bater com fouet e meu braço quase caiu). Coloque o amido de milho e mexa bem. Enquanto isso, coloque o creme de leite em uma panelinha e ferva. Sem parar de bater as gemas com açúcar, coloque aos poucos o creme de leite quente na tigela e misture bem.

Coloque a mistura numa panela e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até engrossar. Importante: não deixe ferver. Na receita original, Julia diz que a temperatura máxima que o creme pode chegar é 74 graus, então um termômetro é recomendável. Tive um pouco de dificuldade com a consistência: Julia diz que o ponto para tirar do fogo é “até que o creme engrosse a ponto de cobrir as costas da colher com uma fina camada.” Acho que a minha fina camada é mais fina que a da Julia, pois acho que tirei do fogo antes do tempo.

Espere um ou dois minutos, passe o creme por uma peneira e misture a essência e o licor. Coloque em um recipiente para servir, deixe esfriar, cubra e leve à geladeira.

o creme sem cobertura, o açúcar sendo queimado e o crème finalizado sobre a bíblia escrita por Julia Child

No livro “Mastering the art of French Cooking”, Julia Child finaliza seu crème brûlée polvilhando açúcar mascavo por cima. Resolvi que hoje realizaria um desejo e polvilhei açúcar cristal e queimei com um maçarico. Pronto. Fiz uma coisa que tinha vontade desde que vi “O Fabuloso Destino de Amélie Poulin”: peguei a colher e quebrei a casquinha de açúcar. Mas o melhor estava por vir… o sabor.

Juro que não sabia que ficava tão saboroso! Para que fosse perfeito, só faltou ter acertado a consistência (pois tirei do fogo antes do tempo), mas estava muito gostoso. Ao contrário do zabaglione, meu encontro com o crème brûlée foi totalmente feliz – por descobrir um novo sabor e partilhá-lo com duas amigas muito queridas, que espero estejam disponíveis para outras receitas. Eis o que sobrou:

Sobre Ana Sakamoto

jornalista não praticante, vive em São Paulo. Gosta de cores e sempre atravessa na faixa.
Esse post foi publicado em amigo é pra essas coisas, Sobremesas e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para Amiga é pra essas coisas… Crème Brûlée

  1. Pingback: Mais uma da Julia Child… bolo de laranja | Sugar Obsession

  2. Cida Faria disse:

    Ufa,Ana enfim consegui te achar! Vc bem sabe das minhas limitações.Quanto a nossa tarde perfeita:boa conversa,muitas risadas,lembranças divertidas e sua deliciosa sobremesa.Sabor impecável e uma vontade louca de se arriscar e ousar! Adorei.Espero ansiosamente pelo nosso próximo encontro. Bjs,Cida.

  3. Robgerta Dutra disse:

    Eu também amo Crème Brûlée. Aliás, o último comi na Suíça (é para quem pode, sorry), mas tenho certeza de que esse da Ana deve ter ficado maravilhoso, como tudo o que ela faz. Quer dizer, maravilhoso seria se eu tivesse sidoo convidada a saborear essa delícia, o que, logicamente, não aconteceu uma vez que eu sou a única dessa turma aí de cima que não aparece na foto. Coisas da vida. Agora ela vai ter de vir fazer o Crème Brûlée a domicílio e em Jundiaí…

  4. Saka!
    Crème Brûlée é uma das minhas sobremesas prediletas (o da Mercearia do Francês é um dos melhores de Sp na minha opinião) esse teu ficou com um cara muito boa! Quando como, os chefs sempre utilizam favas de baunilha que dão um sabor mais suave que a essência.

    Continue postado, estou curtindo o blog!

  5. françoise disse:

    huahuahua. to rindo aqui com seu perfil e o detalhe do “e sempre atravessa na faixa”. BOA!
    adorei a tarde de hoje, Ana. perda de tempo? eu ganhei prazeres neste curto espaço de tempo que ficamos juntas nesta tarde doce na sua casa. parabéns pelo creme brulee (aqui sem acentos). ficou delicioso e aposto que da próxima ficará ainda mais se ficar um pouquinho a mais no fogão. mas amei mesmo assim, o que inclui as rosquinhas do seu pai!
    estou pronta para todas as próximas receitas!
    beijos e obrigada pelo gentil convite.
    Fran

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s